Perguntas Frequentes

Perguntas Frequentes

Catarata

Catarata

O que é Catarata?

A Catarata nada mais é do que uma opacificação do Cristalino, a qual opacificação provoca um progressivo embaçamento da visão e conseqüente perda de acuidade visual. A Catarata vai tornando a visão progressivamente sombreada e fosca, sem que óculos a partir de um dado momento sejam mais capazes de corrigir a disfunção visual.

Mas a Catarata não é uma película que cobre o olho?

Não. É muito importante diferenciar catarata de pterígio, com o que muitas pessoas se confundem. O Pterígio é um espessamento da conjuntiva, com proliferação sobre a córnea, formando como se fosse uma membrana que recobre o olho. Isso é pterígio e não catarata.

A luz do sol pode provocar catarata?

A irradiação ultravioleta pode estimular o aparecimento de catarata. Dessa forma recomendamos uso do filtro UV, nas lentes dos óculos.

A cirurgia de catarata é realizada com laser?

Não. Nenhuma técnica cirúrgica desenvolvida até o momento, utiliza laser em Catarata. A cirurgia de Catarata é realizada através de um processo denominado Facoemulsificação através do qual se utiliza um equipamento composto por vários módulos, onde o último deles é uma “caneta”, com uma ponta que emite ondas de ultrassom, de tal forma que essas ondas de ultrassom servem para triturar o cristalino opacificado e, onde através da mesma caneta aspira-se os fragmentos da catarata triturada.

Ceratocone

Ceratocone

O Ceratocone é hereditário?

Sim. Estudos realizados já evidenciaram que o Ceratocone é geneticamente transmissível. Em decorrência dessa hereditariedade, filhos de portadores de Ceratocone são mais susceptíveis de apresentar a doença e por isso devem, junto com os pais, submeterem-se a uma avaliação anual.

O Ceratocone leva a cegueira?

Não. A cegueira nunca ocorrerá no Ceratocone. Em última instância a visão poderá ser recuperada em sua plenitude através da a realização de um transplante de córnea.

O que estimula o Ceratocone?

Os fatores que estimulam a evolução da doença são principalmente o ato mecânico de coçar os olhos. Por isso, quando diagnosticamos o Ceratocone uma das primeiras orientações é no sentido de que as pessoas nunca mais cocem seus olhos. Por ser muito frequente a associação do Ceratocone com Conjuntivite Alérgica, a qual costuma vir acompanhada de coceira nos olhos, indica-se nessas circunstâncias o uso de colírios antialérgicos para inibir-se a coceira. Outro fator que estimula o agravamento do Ceratocone é o uso de lentes de contato mal adaptadas, assim como a gravidez.
Cirurgia Refrativa a laser

Cirurgia Refrativa a laser

Qual a idade para operar?

Em casos de cirurgia refrativa apenas com o objetivo de corrigir o grau para não mais serem usados óculos ou lentes de contato, a cirurgia deverá ser realizada a partir do momento em que o grau estiver estacionado, o que em geral ocorre a partir dos 20 anos de idade. Para você saber se o seu grau está estacionado, é importante fazer exame de refração anualmente e acompanhar a evolução do seu grau.

A cirurgia é segura?

Com o advento do excimer laser, as cirurgias de miopia, astigmatismo e hipermetropia passaram a ser bem mais seguras do que no passado. Há todavia que se ressaltar que seus resultados dependem muito da avaliação pre-operatória e da correta indicação cirúrgica.

Quais são os exames necessários para saber se posso fazer a cirurgia?

Topografia Computadorizada de Córnea, onde são avaliadas a curvatura da córnea e determinamos as características do Astigmatismo (isso, ainda que o Paciente possa até não manifestar Astigmatismo na refração). A córnea deverá apresentar-se regular e simétrica, afastando a presença de uma possível doença corneana; Mapeamento de Retina, para avaliação do fundo de olho. Em razão de o míope possuir a retina mais fina, esse fato pode contribuir para o aumento da probabilidade de que possam existir “buracos de retina”, os quais nesse caso deveriam ser tratados anteriormente à realização da cirurgia refrativa; Paquimetria Ultrassônica de Córnea, através do qual avaliamos a espessura da córnea em alguns pontos específicos; Orbscan, com o objetivo de avaliar a curvatura anterior e posterior da córnea, bem como a espessura da córnea em toda a sua extensão. A córnea deverá ser suficientemente espessa para que o excimer possa ser realizado com segurança. Durante a consulta inicial também realizamos cuidadosa avaliação do filme lacrimal e o do cristalino já que, tanto olhos desprovidos de boa lubrificação lacrimal (olho seco), como opacidades do cristalino (catarata), contra-indicam a cirurgia refrativa. Outra importante avaliação é em relação ao diâmetro pupilar já que pupilas muito grandes podem causar desconforto visual no pos-operatório.
Computador

Computador

O uso prolongado do computador e televisão pode danificar os olhos?

Nenhum tipo de dano pode ser causado pela irradiação proveniente desses aparelhos. Por outro lado, o cansaço visual associado com uso prolongado do computador pode ocasionar olhos irritados, vermelhos, coceira, ardência e, olhos secos ou lacrimejamento, bem como fadiga, sensibilidade à luz, sensação de peso nos olhos ou da fronte, assim como dificuldade em conseguir foco. Outros sintomas normalmente associados são enxaquecas, dores lombares e espasmos musculares. Atualmente tem sido muito frequente que pessoas de qualquer idade procurem o Oftalmologista com esses sintomas. Nessas circunstâncias logo percebemos durante uma anamnese que se trata de consequência gerada pelo uso prolongado de computador.

Porque o uso prolongado de computador causa cansaço visual?

A visão não foi criada para focalizar uma tela de computador durante muitas horas. O usuário de computador tem que permanentemente manter o foco (acomodação) para perto, o que resulta em tensão dos músculos do olho. Além disso, o usuário de computador tende a diminuir a frequência de piscar, o que faz com que seus olhos tornem-se secos e doloridos e, em muitos casos resultando até em embaçamento da visão.

Como prevenir o cansaço visual durante o uso do computador?

Ações preventivas podem ser tomadas nesse sentido, tais como: posicionar o monitor de 50 a 60 centímetros dos olhos; manter o topo do monitor na altura dos olhos ou ligeiramente abaixo; iluminar bem a sala do computador, evitando-se a utilização de luminárias de mesa para não provocar ofuscamento; criar o hábito de descansos periódicos de alguns minutos a cada hora de uso do computador; piscar regularmente para que seus olhos permaneçam sempre lubrificados; consultar-se com o seu Oftalmologista para verificar se há necessidade do uso de óculos e/ou se o grau do óculos atual está correto.
Conjuntivite

Conjuntivite

O que é conjuntivite?

Conjuntivite corresponde a uma inflamação da conjuntiva, que é uma membrana mucosa, delgada e transparente que recobre a superfície anterior da esclerótica (conjuntiva bulbar) e, a superfície posterior das pálpebras (conjuntiva palpebral ou tarsal), constituindo-se na principal causa de “Olho Vermelho”.

Como se pega conjuntivite?

As conjuntivites infecciosas, bacterianas e virais podem ser transmitidas pelas mãos; por toalhas; e, por cosméticos, principalmente derivados de maquiagem para os olhos, tais como o rímel. As conjuntivites alérgicas são crônicas, e relacionadas com poluição, mudanças climáticas, fumaça de cigarro, pelo de animais, pólens de plantas, perfumes, etc.

Quais são os sintomas de uma conjuntivite?

Os principais sintomas costumam ser coceira, olhos vermelhos, fotofobia (sensibilidade à luz), inchaço das pálpebras e secreção nos olhos. Tal secreção pode apresentar um muco aquoso ou purulento, com coloração amarelo-esverdeada, dependendo da causa através da qual a conjuntivite foi contraída.

Quais são os cuidados que preciso tomar?

Antes de mais nada, não se auto medique; evite coçar os olhos; lave bem as mãos antes e depois do uso de colírios ou pomadas; ao usar os medicamentos, não encoste o frasco do colírio ou da pomada no olho; não use lentes de contato enquanto estiver com conjuntivite; Higienize-se sempre com lenço descartável; não use toalha de pano para enxugar o rosto, mas sim toalha de papel; não use água boricada nessas circunstâncias mas sim, água corrente com sabonete neutro para lavar as pálpebras; Procure seu Oftalmologista logo que surgirem os primeiros sintomas, utilizando-se somente de medicamentos prescritos pelo seu Médico.

Como posso me prevenir-me de forma a não pegar conjuntivite?

Uma boa imunidade é muito importante para você evitar grande parte de doenças infecciosas. Por esse motivo é fundamental manter-se uma boa alimentação e uma vida saudável. Procure ainda lavar sempre bem as mãos com água e sabão; evite colocar as mãos nos olhos; não use maquiagem de outras pessoas nem empreste as suas; não use medicamentos como colírios e pomadas que já foram usadas por outra pessoa; jamais utilize-se de toalhas de pano de outra pessoa.
Consulta Oftalmológica

Consulta Oftalmológica

Qual a idade mínima para eu consultar-me com um Oftalmologista?

Não existe idade mínima. Desde o nascimento já é possível realizar-se um exame oftalmológico caso isso venha a ser necessário.

Existe idade mínima para usar óculos?

Crianças de qualquer idade podem usar óculos. Caso isso seja necessário é muito importante que a criança os use corretamente, para que sua visão seja desenvolvida adequadamente.

Quando se deve levar uma criança ao Oftalmologista?

Caso a criança nunca tenha manifestado qualquer problema, ela deve ser levada pela primeira vez ao Oftalmologista aos dois anos de idade.

Quando as consultas devem ser anuais?

Caso o Paciente já seja usuário de óculos, as consultas devem ser anuais, para uma revisão do grau de suas lentes. A partir dos quarenta anos de idade, todas as pessoas deveriam ser submetidas a uma avaliação oftalmológica anual, também para verificação da pressão intra-ocular; para prevenção do glaucoma; bem como para um exame periódico de fundo de olho.
Esforço visual

Esforço visual

Ler com pouca luz; ler em um carro ou ônibus em movimento; ler ou escrever por muito tempo, prejudica os olhos?

Não necessariamente. Pode todavia causar cansaço visual, dor de cabeça, dor nos olhos, lacrimejamento, etc, conforme já descrito anteriormente.

Ver televisão ou jogar vídeo game muito de perto pode prejudicar os olhos?

Não necessariamente. Porém pode causar cansaço visual, dor de cabeça, dor nos olhos, lacrimejamento, etc, conforme já descrito anteriormente.
Glaucoma

Glaucoma

O que é glaucoma? Ele é uma doença contagiosa?

O Glaucoma é uma doença não contagiosa, resultante de uma associação de aumento da pressão intra-ocular, com perda de campo visual e lesão de nervo óptico.

Como sei se tenho glaucoma?

A partir do exame de fundo de olho, através do qual se verifica a escavação do nervo óptico e, da tonometria de aplanação, através da qual se quantifica a pressão intraocular. Esses dois exames são realizados pelo Oftalmologista, e representam as principais ferramentas para que o glaucoma possa ser preliminarmente diagnosticado. Também é primordial a realização de uma Paquimetria ultrassônica de córnea com o objetivo de confirmar a pressão intraocular efetiva, já ela pode ser diferente da pressão anteriormente, medida caso a espessura da córnea possa estar fora dos padrões normais, o que interfere diretamente na pressão intraocular e, consequentemente, no próprio diagnóstico em si, do glaucoma.

Glaucoma leva a cegueira?

Sim. Um glaucoma não devidamente acompanhado e controlado pode sem dúvida nenhuma levar à cegueira.

Existe relação entre a pressão dos olhos e a pressão arterial?

A pressão intraocular não tem relação com a do sangue; o aumento de uma delas não tem nenhuma relação direta com a outra.
Lentes de Contato

Lentes de Contato

Posso dormir com as lentes de contato?

Não. Não obstante existirem várias lentes descartáveis com indicação do fabricante de que seu uso possa ser continuado, nós, da Paulista Vision Center, peremptoriamente contraindicamos o uso contínuo de quaisquer lentes de contato, devendo as mesmas ser removidas à noite e, acondicionadas em estojo com solução multi-ação de forma a que possam ser mantidas limpas e desinfectadas no período noturno. Nosso entendimento baseia-se no fato de que durante a noite a produção de lágrima é fisiologicamente reduzida em função de nosso organismo entender que nossa córnea esteja já protegida, exatamente pelo fato de estarmos com os olhos fechados e que exatamente por esse motivo a evaporação de lágrima deva ser mínima. Nesse raciocínio, o que ocorre é que o próprio ressecamento natural do olho originário durante a noite acaba por contraindicar o uso das lentes de contato nesse período. Imagine uma situação onde você usou lentes de contato gelatinosas durante um dia inteiro, e onde durante a noite você vai dormir com as mesmas lentes sem removê-las dos olhos. Nessas circunstâncias a pouca lágrima que seu olho produziu será absorvida pela lente de contato já que as lentes gelatinosas absorvem o líquido da lágrima para se auto-hidratar, o que ressecará ainda mais o seu olho. Isso acontecendo você tenderá a acordar pela manhã com as lentes literalmente grudadas na sua córnea. Dessa forma, no momento em que você abrir os olhos sua pálpebra tracionará levemente a lente que, uma vez aderida, produzirá micro erosões no epitélio da córnea. Caso você tente nesse momento remover as lentes, sentirá um grande desconforto como se tivesse areia nos olhos, já que algumas terminações nervosas estarão expostas. Caso por outro lado você permaneça com as lentes por mais um dia, considerando-se que a própria lente funciona como um curativo e por isso você tenderá a não apresentar qualquer sintoma, todo esse processo se repetirá. Nesse ínterim, caso seu olho seja acometido por alguma bactéria, o que não seria atípico, numa circunstância onde normalmente não haveria nenhum problema, no seu caso, devido às micro-erosões supra referenciadas, você muito provavelmente evoluirá com úlceras, abscessos de córnea e/ou, até mesmo uma perfuração de córnea.

Criança também pode usar lentes de contato?

Não existe uma idade cronologicamente pré-definida para a iniciação ao uso de lentes de contato, uma vez que até existem certas indicações clínicas com o objetivo de permitir um desenvolvimento normal da visão evitando-se ambliopia (olho preguiçoso), como nos casos de anisometropia (graus com diferença elevada entre os dois olhos), pos-operatório de catarata sem implante de lente intra-ocular, etc. Por outro lado, no caso de uso estético ou onde possa haver indicação para e prática de esportes, costumamos recomendar o uso de lentes de contato somente a partir de doze anos de idade, quando a criança já começará a entender as orientações, bem como a responsabilidade inerente à prática de a criança ter de cuidar bem de suas lentes e, consequentemente, de seus olhos. Nesse momento será muito importante a participação dos pais quanto à supervisão desse processo de adaptação.

Posso usar colírios com lentes de contato?

Sim. Não somente é possível mas, recomendado, o uso de lubrificantes que não contenham preservativos químicos que não venham a alterar o material da lente gelatinosa. Para Pacientes portadores de glaucoma e/ou de outra patologia que necessitem instilar medicamentos durante o dia, recomenda-se o uso de lentes rígidas gás permeáveis que não sofram alterações na presença desses medicamentos, o que permite a que se possa instilar as gotas mesmo com as lentes.

As lentes podem ir para trás do olho?

Não. Considerando-se que a conjuntiva, membrana que recobre a esclera (parte branca dos olhos), é contínua com a conjuntiva que recobre a parte interna das pálpebras. Por esse motivo, o máximo que pode acontecer é que a lente posicione-se sob a pálpebra superior, sendo por conseguinte facilmente removível.

Posso usar cosméticos com lentes de contato?

Recomenda-se colocar as lentes antes da maquiagem; evitar-se o uso de sombras em pó, não passar delineador ou lápis na parte interna da borda palpebral, realizar-se a troca/reposição de rimel a cada três meses, lavando-se o pincel com freqüência, bem como remover as lentes de contato antes de retirar-se a maquiagem.

A prática da natação é permitida com lentes de contato?

A preocupação quanto ao uso de lentes de contato durante a natação está ligada ao risco da infecção bacteriana já que ambientes aquáticos são mais propensos a contaminações. Cuidados tais como: utilizar óculos de proteção com boa vedação; limpar e desinfetar as lentes após essa prática esportiva; bem como descartar a lente quando por algum motivo o risco de infecção puder ser maior pela própria avaliação do usuário, podem ser extremamente importantes com o objetivo de minimizarem-se os riscos com contaminações.

Existem óculos de natação e de mergulho com grau?

Sim. É possível confeccionar-se óculos de natação e de mergulho com grau, meramente tomando-se o devido cuidado de que o grau originalmente prescrito para o seu óculos normal seja corrigido para o de natação ou de mergulho, levando-se em conta o fator de refração da água. Isso sem dúvida caberá ao Ótico responsável pela confecção do mesmo.
Queimadura Química

Queimadura Química

Se cair produto químico nos meus olhos, o que devo fazer?

O primeiro cuidado é lavar muito bem os olhos com soro fisiológico ou com água filtrada ou corrente. Procure imediatamente um Médico Oftalmologista, preferivelmente levando o nome do componente químico do produto que caiu nos olhos. Caso porventura não consiga assistência médica imediata ligue para: Centro de Controle de Intoxicações (CCI) da Prefeitura de São Paulo, localizado à Av. Francisco de Paula Quintanilha Ribeiro, 860, Jabaquara, São Paulo-SP, Telefones: (11) 5012-5311 ou, 0800 771 3733 / Plantão 24 horas.
Terçol e Calázio

Terçol e Calázio

O que é Terçol?

É a infecção de uma pequena glândula que existe na pálpebra, formando um pequeno nódulo avermelhado em sua parte externa, com inchaço e dor. Normalmente, a mera utilização de compressas quentes pode fazê-lo desaparecer no período de três a cinco dias.

O que é Calázio?

É a infecção de uma pequena glândula que existe na pálpebra, acompanhada da formação de um pequeno nódulo em sua parte interna, de aparência avermelhada, sendo normalmente acompanhado de inchaço e dor. Tende a apresentar uma evolução lenta e, até algumas vezes com desaparecimento dos sinais inflamatórios, porém persistindo a presença do nódulo indolor, endurecido na pálpebra. O tratamento do calázio pode ser clínico ou cirúrgico, dependendo de como se comporta a sua evolução a do imediatismo com que venha a ser clinicamente acompanhado.
Retina

Retina

O que é retina?

A Retina consiste-se de uma camada fina de tecido nervoso sensível à luz que reveste toda a cavidade interior do olho. É a retina que transforma luz em estímulo nervoso, o qual estímulo através do nervo óptico é enviado ao cérebro, para a interpretação do mesmo.

Em que consiste o descolamento de retina?

O descolamento de retina é a separação da retina da parede do fundo do olho, denominada coróide.

O descolamento de retina tem tratamento?

Sim. Existem vários tipos de tratamento. A escolha dentre alguma dessas alternativas irá variar de acordo com o tempo decorrido desde o início do descolamento; em função da extensão do descolamento; e, da localização do descolamento. Há que se ressaltar que descolamentos de retina não devidamente acompanhados podem levar à cegueira do Paciente.

O que é Retinopatia Diabética?

A Retinopatia Diabética é caracterizada por alterações vasculares da retina, o que provoca áreas isquêmicas em seu tecido, acompanhada de pequenos sangramentos, com proliferação de tecido fibrovascular e, ocasionando como conseqüência a perda da acuidade visual.

O que é Degeneração Macular Relacionada à Idade?

Clinicamente, a DMRI caracteriza-se por um crescimento de vasos sanguíneos anormais atrás da retina, na região macular (região da retina responsável pela visão central e de detalhes), provocando perda gradativa da visão.

Existem tratamentos para essa doença?

Sim. Já foram desenvolvidas determinadas drogas que, aplicadas localmente no interior do olho, através de injeções intra-vítreo, têm por objetivo maior não somente não permitir a evolução da degeneração retiniana mas, em alguns casos, até mesmo proporcionar uma melhora na capacidade de enxergar do Paciente.
Transplante de Córnea

Transplante de Córnea

Como eu faço para me inscrever na fila de espera por um transplante de córnea?

A inscrição do Paciente na fila dos transplantes é realizada pela própria equipe do Médico Oftalmologista, o qual deverá estar devidamente credenciado junto à Secretaria de Saúde de seu estado para a realização de transplantes de córneas. O ato da inscrição é muito simples e, “on-line”, diretamente no sistema mantido por aquela instituição governamental.

Quanto tempo demora a espera por uma córnea?

Hoje em dia tem sido quase que possível dizer aos Pacientes que não há espera para que ele receba a sua córnea. O fato é que a eficiência posta em prática pelos diversos bancos de olhos credenciados para tal, aliada a uma maior conscientização da população quanto à importância de que doem seus órgãos, tem feito com que a fila de espera por uma córnea que já foi de quatro anos em São Paulo, hoje seja de algo em torno de um a três dias.

É alto o índice de rejeição no transplante de córnea?

Não. Principalmente pelo fato de a córnea constituir-se de um tecido não vascularizado, o índice de rejeição nos transplantes situa-se na reduzidíssima faixa de 5% do total dos casos objeto dessa estatística. Caso por algum motivo a córnea do Paciente tornou-se vascularizada, aí sim, referido índice aumenta sobremaneira. É claro que há por outro lado que também ser destacada a importância do diagnóstico correto e precoce da rejeição. Nessas circunstâncias, se o tratamento for rapidamente administrado, a rejeição muito provavelmente será controlada e eliminada, sem que se danifiquem os resultados originalmente obtidos no transplante. A rejeição no transplante de córnea costuma ocorrer devido a uma reação tardia mediada pelos linfócitos "T", o que em geral ocorre somente a partir do quarto mês de pos-operatório. Há também que ser destacado que caso o Paciente já tenha anteriormente realizado um outro transplante de córnea, mesmo que no outro olho, também nesses casos a rejeição poderá ocorrer com um índice de probabilidade maior, isso em função de o organismo do Paciente já dispor de anticorpos formados para a rejeição. Somente para que se entenda corretamente, na rejeição os anticorpos agem contra a própria córnea tal como se não a identificassem como um órgão que faz parte do próprio corpo.
Trauma Ocular

Trauma Ocular

As crianças são mais vulneráveis à ocorrência de um trauma ocular?

Sem dúvida. Tanto no ambiente doméstico como na escola, as crianças são bastante mais susceptíveis a acidentes, principalmente durante as horas de recreação. Os objetos que mais frequentemente causam o trauma ocular são: pontas de lápis bem apontados; garfos; facas; tesouras; arames; varetas de pipa; brinquedos pontiagudos; tiros de espingarda de pressão; fogos de artifício; queimadura com produtos químicos; mordidas de animais, etc. Também é bastante frequente o trauma ocular nos acidentes de carro.

Se ocorrer um trauma ocular o que devo fazer?

Em primeiro lugar, nunca esfregue os olhos na tentativa de retirar um corpo estranho introduzido no olho pois, isso poderá ocasionar um trauma ainda maior no mesmo. Caso referido corpo estranho possa estar bem visível, tente retirá-lo com uma pontinha feita com um lenço de papel. Caso não esteja visível, abra bem os olhos e coloque soro fisiológico ou água corrente dentro dos olhos, na tentativa de remover o corpo estranho. Se ainda assim a sensação da presença desse corpo estranho não passar, mantenha o olho fechado e, o mais rapidamente possível, procure um Oftalmologista.

Como prevenir as crianças dos traumas oculares?

Procure mantê-las sempre no banco traseiro do carro e, afixadas com cinto de segurança. A supervisão constante de crianças pequenas na recreação escolar e domiciliar, selecionando brinquedos adequados para a idade e evitando-se aqueles que contenham partes pontiagudas, também representam outras formas importantes de se evitar que os acidentes ocorram. Não deixar as crianças correrem com lápis, caneta, garfo, faca, tesoura, etc, segurando-as na mão e, sempre orientando-as a que segurem tais objetos com a ponta voltada para baixo, caso isso seja inevitável. Evite que as crianças mantenham-se próximas de produtos químicos, deixando tais produtos em locais fora do alcance delas. Oriente as crianças a que não aproximem o sue rosto ao do de animais. Não permita que crianças brinquem, ou mesmo que se postem próximas da manipulação de fogos de artifício.
error: