Tratamentos em doenças da Retina

Tratamentos em doenças da Retina aplicáveis nos casos de DMRI – Degeneração Macular Relacionada à Idade e, de Retinopatia Diabética

a) Injeção intravítreo de Bevacizumab (AvastinTM)

O Avastin TM não foi inicialmente desenvolvido para o tratamento de doenças oculares. Na prática, ele atua bloqueando uma substância conhecida como fator de crescimento do endotélio vascular ou, VEGF. Tal inibição do VEGF impede o crescimento dos vasos. Uma vez que uma medicação é aprovada pelo FDA, os Médicos podem usá-la “fora da etiqueta (off-label)” para outras finalidades. Tem-se dessa forma utilizado o Avastin TM para tratar Degeneração Macular relacionada à idade (DMRI), Retinopatia Diabética, Oclusão Venosa e, outras doenças vasculares. Alguns pacientes tratados com o Avastin TM apresentaram como resposta uma diminuição do líquido, melhora do aspecto da mácula e melhora da acuidade visual.

Forma de Administração:

Após a dilatação da pupila, o olho é anestesiado, utilizando-se anestésico tópico (colírio), sendo o medicamento então injetado no interior do vítreo. Administra-se o AvastinTM a intervalos regulares, na dependência da avaliação que foi realizada pelo Médico Especialista.

b) Aplicação intravítreo de Ranibizumab (Lucentis TM)

O tratamento da DMRI exsudativa com injeções intravítreas de Lucentis TM é uma outra opção de tratamento, conforme isso assim tem sido demonstrado em estudos multicêntricos. O Lucentis é também um anti VEGF e, é também aprovado pelo FDA para uso intraocular.

c) Aplicacao intravitrea de Aflibercepte ( Eylia )

O tratamento da DMRI exsudativa com injeção intravítrea de Eylia é uma terceira opção de tratamento com um anti VEGF. Estudos multicêntricos demonstram uma duração maior da droga no interior do vítreo, o que permite uma extensão dos intervalos entre as injeções. Tal como nos casos anteriormente mencionados, o Aflibercepte também é aprovado pelo FDA para a prática de uso intraocular.

Ressalva

Não obstante vários resultados extremamente positivos já terem sido alcançados nessa modalidade de tratamento, onde os Pacientes inclusive apresentaram melhora na visão, há que ser ressaltado que embora o objetivo maior seja o de impedir a progressão da perda visual, a medicação pode em alguns casos, além de não recuperar a perda da visão já ocorrida, também não impedir a progressão da perda da visão decorrente da doença.

O Dr. Eduardo Takeshi Itikawa é detentor de vasta experiência em Oftalmologia Geral, com especialização em Retina e Vítreo.

error: